Estamos vinculados

Estamos vinculados
INSTITUTO CONTA BRASIL - “Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso, e trabalhar em conjunto é a vitória.” Henry Ford

As histórias são como portas e janelas...


Meus amigos, se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é passageira aproveitaríamos melhor as chances de fazer os outros felizes.
Nesse nosso trabalho aprendemos com lágrimas que muitas flores são colhidas cedo demais. Algumas, mesmo ainda em botão.
A gente não pode adivinhar quando vão ser chamadas, ou quando seremos chamados.

E descuidamos, deixamos pra amanhã.
Não damos o abraço que tanto nossa alma pede. Não damos um beijo carinhoso
Não dizemos “Te amo”. Não contamos historias...
E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os
mesmos, fechados em nós.
E o tempo passa...
Mas...
Nunca se é velho demais ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil, fazer um gesto carinhoso, contar uma bela historia...
Ainda é tempo de apreciar as flores que estão ao nosso redor, cuidar delas antes que partam.
Ainda é tempo de agradecer pela vida, que mesmo passageira ainda esta em nós. Aproveito para agradecer, ao Grupo Prosarte, principalmente ao seu coordenador, o Antenor, a oportunidade que nos foi dada de levar nossa energia até as crianças do Hospital João Alves durante as férias. Essa parceria do Grupo Hannah com o Prosarte só tem feito bem às nossas almas!






As histórias são como portas e janelas.
Se debruçamos e reparamos, nos inscrevemos na paissagem.
Se destrancarmos as portas o enredo do universo nos visita.
Escrever, ler ou ouvir histórias é somar-se ao mundo, é iluminar-se com a claridade do já decifrado.
Cada história descortina um horizonte, cada frase anuncia outra estação.
E os olhos, tomando das rédeas, abrem caminhos entre linhas para as viagens do pensamento.
A história é passaporte, é bilhete de partida.
A história guarda espaço para o ser imaginar sua própria humanidade e apropriar-se de sua fragilidade, com seus sonhos, os seus devaneios, e sua experiência.
A história acorda no sujeito dizeres insuspeitados enquanto redimenciona seus entendimentos.Há trabalho mais definitivo, há ação mais absoluta do que essa de aproximar o homem da história? Bartolomeu Campos Queirós


Postar um comentário